Blog PT

O que é Gestão de Risco?

Mundo do Trading
No seguimento do que temos vindo a falar sobre a pirâmide do trading, hoje vamos definir o que é gestão de risco. Anteriormente falamos do que era a analise técnica e que esta é elemental para a leitura de gráficos, mas é sem dúvida o elemento menos importante no caminho do sucesso no mundo do trading, e mais importante que a analise técnica, temos a gestão de risco.

Antes de entrar um pouco mais em profundidade no tema, gostava de relembrar que os 4 elementos do trading apresentados no nosso diagrama, não funciona em separado. Que quero dizer com isto. Para se operar mercados financeiros com rentabilidade e consistência, é necessário ter uma estratégia, que seja clara e bem definida, mas esta deve conter componentes de todos os 4 elementos. Ou seja, uma boa estratégia de trading tem de ter uma análise técnica alinhada com a gestão de risco, que têm que estar alinhadas com a gestão monetária e com a gestão emocional. Por isso muitas vezes pessoas que tentam encontrar os 4 elementos de sítios diferentes por vezes não encaixam entre si. Por isso, a gestão de risco deve ser sempre alinhada com a análise técnica utilizada.

Então, gestão de risco é a identificação, análise e minimização de risco que um trader está exposto em uma ou mais operações financeiras. É importante ter a noção que esta gestão é feita com um objetivo claro de minimizar as possíveis consequências de uma decisão que pode levar à perda de capital. Dito isto, é importante entender que a gestão de risco não é gestão monetária – são coisas diferentes. A gestão de risco no trading pode trabalhar-se de várias maneiras, mas tem duas importantes variáveis principais:

·      A probabilidade de perder uma operação ou de ganhar essa mesma operação;

·      Que exposição percentual tenho no caso de haver uma perda da mesma operação.

Se dominarmos estas duas variáveis do nosso trading e tivermos o perfeito entendimento das mesmas, poderemos controlar em todo o momento o nosso risco. Para isto, é fundamental sabermos em todo o momento a probabilidade que temos, de ganhar ou perder, em cada vez que colocamos no mercado. Isto é o que correntemente chamamos a taxa de acerto. Parece algo fácil, mas na realidade podemos fazer isto tão complexo quanto queiramos, em realidade.

A base de dominar tudo isto é informação. Ter o nosso trading controlado estatisticamente. Sem a ferramenta da informação nunca dominaremos o nosso risco e, consequentemente, o nosso trading. E não me serve saber que estudei um método de trading que tem uma taxa de sucesso de 80%. Lá porque alguém consegue prever movimentos de preço futuros a 80% não quer dizer que eu consiga fazer o mesmo. Posso fazer mais ou posso fazer menos. Nunca se esqueçam e não se deixem enganar pelos números de outros. O risco de cada trader é individual e única para cada um de nós. Precisamos de saber o nosso próprio risco.

Risco-Benefício
Risco-Benefício

Mas mesmo assim, sabendo a nossa taxa de acerto, pessoal e única, o que sei é que, se executar 10 operações com 70% de taxa de acerto, isto só me quer dizer que eu acerto no provável movimento do preço 7 de cada 10 vezes que entro a mercado. Mas quando é que cada uma de essas entradas ganhadoras me traz? 1% de lucro? 10%? 100%? Será que com esses 7 acertos eu tenho 7%, 70% ou 700% de lucro?
E as perdas? Quanto perco cada fez que não acerto o possível movimento do preço? 1%, 10%? Mais? Será que nas 7 vencedoras ganhei 7% em total e nas 3 perdedoras perdi 30%? É muito importante entender que eu posso ter uma estratégia com uma taxa de acerto alta e perder dinheiro, ou uma probabilidade baixa e ganhar dinheiro. Dentro de cada operação, temos também a relação risco-benefício, que é a relação entre o que estamos dispostos a perder, para alcançar o possível ganho. Esta relação tem de ser claramente ganhadora.

Voltando ao ponto de início, gestão de risco é, na realidade, identificar e analisar a informação sobre o nosso próprio trading para poder minimizar o impacto negativo do trading na nossa conta e maximizar o resultado positivo, mas tudo isto é com base neste dois pontos fundamentais da análise de risco e, com uma relação risco-benefício claramente positiva.

O próximo passo é o impacto de esta informação no nosso capital e trabalhar a relação muito próxima que tem a gestão de risco e a gestão monetária, que será o próximo tópico na newsletter da semana que vem.